Influência da Dimensão das Aberturas na Qualidade Acústica de Salas de Aula Naturalmente Ventiladas

Autores

  • Jordana Teixeira da Silva Grupo de Estudos do Ambiente Sonoro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL
  • Maria Lúcia Gondim da Rosa Oiticica Grupo de Estudos do Ambiente Sonoro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL

DOI:

https://doi.org/10.55753/aev.v29e46.128

Palavras-chave:

qualidade acústica, simulação computacional, salas de aula, aberturas, janelas

Resumo

As condições acústicas das salas de aula podem interferir diretamente no processo de ensino e aprendizagem. Alguns componentes construtivos podem influenciar em tais condições. No clima quente-úmido, as aberturas são utilizadas com a finalidade principal de proporcionar a ventilação natural. Situações de conflito entre as necessidades de conforto ambiental podem ser verificadas quando tais componentes também permitem a entrada dos ruídos externos, ocasionando decréscimo no isolamento sonoro. Além dos aspectos relacionados ao isolamento e à ventilação, torna-se necessária a abordagem da interferência das aberturas na qualidade acústica interna. Nesse contexto, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência da dimensão das aberturas na qualidade acústica de salas de aula naturalmente ventiladas com base na rede pública municipal de ensino de Maceió-AL. A metodologia consistiu em análises paramétricas, com base em resultados dos parâmetros de qualidade acústica: Tempo de Reverberação (TR), Clareza (C50), Índice de Transmissão da Fala (STI) e Porcentagem de Perda na Articulação de Consoantes (%ALCons), obtidos por meio da simulação computacional. Através dos resultados, observou-se a que o aumento da área de abertura acarreta em melhorias expressivas nos valores dos parâmetros acústicos. O conhecimento sobre o efeito das aberturas na qualidade acústica interna pode auxiliar o projeto arquitetônico no processo de tomada de decisões por parte dos arquitetos.

 

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220 – Desempenho térmico de edificações (partes 1, 2 e 3). Rio de Janeiro: ABNT, 2005.

__________. NBR 12179 – Tratamento acústico em recintos fechados. Rio de Janeiro: ABNT, 1992.

AMORIM, A. E. B. Formas geométricas e qualidade acústica de salas de aula: estudo de caso em Campinas-SP. Dissertação (Mestrado). Pós- graduação da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2007.

ANSI - AMERICAN NATIONAL STANDARD. ANSI S12.60: Acoustical Performance Criteria, Design Requirements, and Guidelines for Schools. Accredited Standards Committee S12, Noise. Standards Secretariat Acoustical Society of America, Melville, NY: American National Standards Institute, Inc, 2002, 50p.

ARAÚJO, B. C. D. de. Proposta de elemento vazado acústico. Tese (Doutorado). Programa de Pós- Graduação em Arquitetura e Urbanismo. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010.

BISTAFA, S. R. Acústica Aplicada ao Controle do Ruído. São Paulo: Edgard Blücher, 2006. 368p.

EGAN, M. David. Architectural Acoustics. New York: McGraw-Hill, 1988. 411p.

EYRING, C. F. Reverberation time in “dead” rooms. Journal of the Acoustical Society of America- JASA. v.1, p.217-241, 1930. DOI: https://doi.org/10.1121/1.1915175

GERGES, S. N. Y. Ruído: fundamentos e controle.2.ed. Florianópolis: NR Editora, UFSC, 2000. 696p.

IEC - INTERNACIONAL ELETROTECHINICAL COMMISSION. IEC 60268-16: Sound system equipment – Part 16: Objective Rating of Speech Intelligibility by Speech Transmission Index, 2011.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Data Escola Brasil. Disponível em:<http://www.dataescolabrasil.inep.gov.br/dataEscolaBrasil/> . Acesso em: 01/05/2014.

KUTTRUFF, H. Room Acoustics. 2.ed. London, UK: Applied Science Publishers LTD.,1979. 300p. doi: 10.1016/0003-682X(80)90032-8 DOI: https://doi.org/10.1016/0003-682X(80)90032-8

MARSHALL, L. G. An acoustics measurement program for evaluating auditoriums based on the early/late sound energy ratio. Journal of the Acoustical Society of America-JASA. v. 96, p.2251-2261, 1994. DOI: https://doi.org/10.1121/1.410097

MARTELLOTTA, F. On the sound absorption by openings in rooms (L). Journal of the Acoustical Society of America-JASA. v. 132, n.5, p. 2951–2954, 2012. doi: 10.1121/1.4756923 DOI: https://doi.org/10.1121/1.4756923

MEC - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. Espaços educativos – ensino fundamental: subsídios para elaboração de projetos e adequação de edificações escolares. Cadernos técnicos, n. 4, v.2. Brasília: FUNDESCOLA, 2002.

MEHTA, M.; JOHNSON, J.; ROCAFORT, J. Architectural acoustics: principles and design. Columbus: Prentice Hall, 1999. 446p.

OITICICA, M. L. G. da R. Desempenho acústico de diferentes tipologias de peitoris ventilados. Tese (Doutorado). Pós-graduação da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Estadual de Campinas. Campinas,2010.

SABINE, W. C. Collected Papers on Acoustics. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1922. doi: 10.1121/1.3072523 DOI: https://doi.org/10.1121/1.3072523

SAUTER, A.; SOROKA, W. W. Sound transmission through rectangular slots of finite depth between reverberant rooms. Journal of the AcousticalSociety of America-JASA. v. 47, n.1, p.5–11, 1970. doi: 10.1121/1.1970289 DOI: https://doi.org/10.1121/1.1911442

SGARD, F; H. NELISSE, H.; ATALLA, N. On the modeling of the diffuse field sound transmission loss of finite thickness apertures. Journal of the Acoustical Society of America-JASA. v. 12, n.1, p.302–313, 2007. doi: 10.1121/1.2735109 DOI: https://doi.org/10.1121/1.2735109

WILSON, G. P.; SOROKA, W. W. Approximation to the diffraction of sound by a circular aperture in a rigid wall of finite thickness. Journal of the Acoustical Society of America-JASA. v. 37, n.2, 1965, p.287–297. DOI: https://doi.org/10.1121/1.1909325

Capa - Influência da Dimensão das Aberturas na Qualidade Acústica de Salas de Aula Naturalmente Ventiladas

Downloads

Publicado

01/dez/2014

Como Citar

SILVA, J. T. da; OITICICA, M. L. G. da R. Influência da Dimensão das Aberturas na Qualidade Acústica de Salas de Aula Naturalmente Ventiladas. Acústica e Vibrações, [S. l.], v. 29, n. 46, p. 47–56, 2014. DOI: 10.55753/aev.v29e46.128. Disponível em: https://revista.acustica.org.br/acustica/article/view/aev46_saladeaula. Acesso em: 25 jul. 2024.