Editorial Acústica e Vibrações 53

Autores

  • William D'Andrea Fonseca Universidade Federal de Santa Maria - UFSM https://orcid.org/0000-0003-3439-5963
  • Ranny Loureiro Xavier Nascimento Michalski Universidade de São Paulo - USP

DOI:

https://doi.org/10.55753/aev.v36e53.140

Palavras-chave:

editorial, divulgação científica, acústica, vibrações

Resumo

Editorial

Com muita satisfação, a Comissão Editorial da Revista Acústica & Vibrações apresenta sua edição número 53. Este exemplar traz grandes novidades: a Revista agora é aberta para a comunidade e atende aos critérios de indexação das principais bases de dados com a adição do identificador digital DOI.Além disso, conta com seu próprio site (https://revista.acustica.org.br), contendo o arquivo com todas as edições já publicadas.

Segue um pequeno histórico sobre a Revista Acústica & Vibrações. Concebida em 1985 pela Sociedade Brasileira de Acústica (Sobrac), ela era apenas um Boletim para os associados da entidade. No entanto, com o crescimento da área, em novembro de 1988, alcançou o status de Revista, abrangendo um maior conteúdo técnico-científico. Ao longo dos anos ela passou por muitas etapas, sendo que em 2021 acontece sua abertura para a comunidade, indexação e adição do identificador digital DOI.

A edição número 53 da Revista Acústica & Vibrações conta com oito artigos de diferentes ramos da área de acústica e vibrações.

O artigo de Bárbara Fengler, Karina Sá, Raquel Rossatto, e José Carlos Giner apresenta um estudo inicial do uso de um modelo em Modelagem da Informação da Construção, BIM (Building Information Modeling), a partir do esquema de dados Industry Foundation Classes, IFC, e a ferramenta IfcOpenShell, para estimar o desempenho acústico de uma divisória. 

O trabalho de Jacson Vargas, Hideraldo Santos, Lucas Kulakauskas, Arcanjo Lenzi e Olavo Silva, do Laboratório de Vibrações e Acústica (LVA), da Universidade Federal de Santa Catarina, apresenta uma análise experimental das fontes de ruído em uma lavadora de roupas de carregamento frontal. Foram caracterizadas as contribuições do ruído radiado pelo motor, pelo tanque e pelo gabinete da lavadora. Os resultados confirmam a hipótese preliminar de que o motor elétrico é a principal fonte de ruído da lavadora analisada.

O estudo de Ranny Michalski, Alessandra Shimomura e Roberta Mülfarth, da USP, analisou e comparou condições de ruído urbano antes e durante a pandemia no centro de São Paulo, SP, com o intuito de verificar as mudanças entre os dois cenários. Os resultados mostram uma redução nos valores medidos e confirmam a hipótese de que as medidas adotadas de restrição social impactaram na paisagem sonora urbana.

Fernanda Caldas e Bruno Masiero, da Unicamp, realizaram um estudo de avaliação de três algoritmos promotores de esparsidade para determinar a direção de fontes em uma cena sonora utilizando um arranjo esférico de microfones em três condições: cenas simuladas com e sem ruído aditivo e uma situação real com uma fonte gravada em ambiente quase anecoico. No caso das cenas simuladas, os algoritmos apresentaram um resultado satisfatório sendo capazes de determinar acuradamente o número de fontes e suas direções.

O artigo de Valdiney Sousa e Alexandre Teixeira apresenta uma abordagem diferente e de fácil interpretação sobre o tema “dose de vibração”, ao definir uma dose adimensional para vibração de corpo inteiro e aplicá-la em exemplos conhecidos em guias técnicos.

O artigo de Tais Felipetto, Maria Fernanda de Oliveira, Fernanda Rossatto, Lorenzo Kerber e Rafael Heissler busca identificar alterações em atenuadores para controle de ruído em sistemas de ar-condicionado com a incorporação de materiais fono-absorventes reaproveitados e chega a resultados de coeficientes de absorção sonora muito próximos aos de materiais primários. 

O artigo de Tamáris da Costa Brasileiro-Meneses, Virgínia Araújo e Bianca Carla Dantas de Araujo apresenta um compilado dos parâmetros para avaliação de ruído ambiental em normas e leis ambientais de países da América do Sul. Da pesquisa, concluiu-se que, no geral, os países definem os níveis sonoros permitidos a partir do zoneamento urbano e da divisão entre os períodos noturno e diurno, sendo o Paraguai o único país que apresentou valores específicos para os horários de pico.

Encerrando a seção de artigos científicos, o artigo de Viviane Melo, Roberto Tenenbaum, Edna Sofia Santos, Murilo Soares e Gabriel Sampaio, da UFSM, apresenta um estudo de validação dos resultados do código computacional RAIOS 7 de simulação numérica de acústica de salas com aurilização. São validados o cálculo dos parâmetros acústicos e as respostas impulsivas tanto monoauriculares como biauriculares. 

A edição 53 conta também com dezenove encartes, apresentados nas seções Chamadas e News & Reviews. São apresentados detalhes sobre: as atividades do INAD 2021, o fechamento do Ano Internacional do Som 2020 & 2021, resenhas de cinco livros na área de acústica e vibrações (em português e inglês), o acordo de cooperação mútua assinado entre a Sobrac e a Sociedade Portuguesa de Acústica (SPA), a Sala de Escuta Crítica em construção na Unicamp, o Young Acousticians Network (YAN), o processo eleitoral da Sobrac referente ao biênio 2021–2022, o Festival Internacional de Música em Casa (Fimuca Áudio), o workshop online: Planejamento urbano acústico em zonas culturais, o 1° Colóquio Virtual “Cuscuz com Acústica” da Sobrac NE e o II Mês Acadêmico da Engenharia Acústica.

A seção News & Reviews conta também com um pequeno artigo sobre uma nova aplicação para o  sonômetro Brüel & Kjær, modelo 2245, chamada Product Noise Partner. Outro artigo muito interessante da seção é sobre simulações de acústica de salas desenvolvidas nas universidades do Brasil. Na sequência, tem-se informações sobre o curso de Engenharia Acústica, ganhador das 5 estrelas no Guia da Faculdade do Jornal Estadão. Por fim, temos uma lista com os próximos eventos de acústica no Brasil e no mundo.

Também temos chamadas neste número: como publicar artigos na revista; como se associar à Sobrac e informações sobre FIA 2020/2022 e o VII Seminário Gaúcho de Acústica e Vibrações (Segav).

Gostaríamos também de aproveitar a oportunidade para convidar o leitor para o 12o Congresso Iberoamericano de Acústica (FIA) em conjunto com o XXIX Encontro da Sobrac, que será realizado em Florianópolis, de 28 a 31 de agosto de 2022, reagendado novamente por conta da pandemia. A programação incluirá palestras de especialistas mundialmente renomados, bem como apresentações de trabalhos e pôsteres sobre temas relacionados às áreas de Acústica e Vibrações. Uma exposição técnica com os últimos avanços em produtos e equipamentos ocorrerá em paralelo ao Congresso. Convidamos também para o VII Seminário Gaúcho de Acústica e Vibrações, realizado de forma presencial em São Leopoldo, RS, no dia 23 de setembro de 2022.

Gostaríamos de agradecer à Sobrac, aos autores e ao grupo de pareceristas-revisores, pela contribuição para a presente edição (que quebra um recorde de páginas, sendo a maior já publicada).

Aproveite a leitura!

Cordialmente,

Editores Revista A&V n◦ 53, dezembro de 2021.

Capa - Editorial Acústica e Vibrações 53

Downloads

Publicado

28/dez/2021

Como Citar

FONSECA, W. D.; MICHALSKI, R. L. X. N. Editorial Acústica e Vibrações 53. Acústica e Vibrações, [S. l.], v. 36, n. 53, p. 3–6, 2021. DOI: 10.55753/aev.v36e53.140. Disponível em: https://revista.acustica.org.br/acustica/article/view/aev53_editorial. Acesso em: 13 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>